LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores

domingo, 10 de outubro de 2010

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Na penumbra...



Na penumbra... Sonhos!...

De contornos pouco claros, 
de traços indefinidos...
Estados de alma pintados 
ao sabor das emoções , 
que brotam da alma,
fervilhando 
 sentimentos antagónicos.

Como definir o que o coração sente, 
quando a razão não acompanha o sonho ?!

A.A.A.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

ENVELHECER




Saber envelhecer com dignidade, jovialidade e sabedoria é uma benção.

Por detrás de uma ruga, esconde-se o sabor de uma lágrima lambida que tantas vezes,  num trago amargo digerida,  foi transformada em aprendizagem.

Cada fio de cabelo branco representa uma lição colhida na estrada da nossa vida.

Se formos bons alunos... à medida que o tempo correr e os cabelos brancos se multiplicarem transformar-nos-emos em seres mais sábios e tolerantes.

Não desprezem os nossos velhos!!!  


Não esqueçam que um dia também o seremos. 


A.A.A.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

INTROSPECÇÃO




ESTENDO...
as minhas mãos e sinto que nelas pousam estrelas cintilantes que me iluminam e abrem novos caminhos.


SINTO...
a invasão de um amor sereno, indecifrável que me acalenta e acalma.


VISIONO...
um poder que me transcende e que está para alem dos meus olhos físicos.


CAMINHO...
seguramente pelas veredas desta vida, tendo a certeza que " AQUELA MÃO" me protege e indica o caminho certo.


PENSO...

que este momento é único, e  um entre muitos que cabem na eternidade.


E CONCLUO...
nada mais temo nesta vida !!!


A.A.A.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

ALMAS CONFUSAS




No turbilhão dos dias e das horas que vão correndo qual montanha russa, num sobe e desce alucinante, a uma velocidade louca...
Silencio, observo e vislumbro, alguns seres perdidos, navegando em mar revolto, mergulhados numa apatia doentia...
Almas confusas, desorientadas, separadas, desencontradas, perdidas do seu porto de abrigo. Não se definem, não sabem o que querem, buscando o prazer no lamacento e perigoso mar da obscuridade, adormecem. Quando acordam, choram!
Choram, porque é tarde. É tarde porque é chegada a hora de fazer o balanço, olham para trás e que observam?! No corre - corre desenfreado, perderam a vida, que foi " consumida " na ilusão do consumo.
Vida perdida, vazia de valores morais, de sentimentos sublimes, de amor repartido, de tudo o que a enriquece e a enobrece realmente.  E lembram...
Lembram que ocasionalmente foram felizes, mas não o sabiam e desperdiçaram. Não souberam saborear os momentos únicos...  E agora é tarde!
Foram vivendo de fora para dentro, valorizando o que não tinha qualquer valor!
Mas quem sabe, se no despertar se encontram e entendem finalmente, que a vida se vive de dentro para fora e que o verdadeiro, autentico e único tesouro, habita dentro de cada um de nós?!



A.A.A.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

REFLECTINDO





Aqueles que sonham acordados têm consciência de mil coisas que escapam aos que apenas sonham adormecidos.


( Edgar Allan Poe )




domingo, 5 de setembro de 2010

VENDEDORES DE SONHOS




Cavalgando no tempo...
atravessando os seus vastos portais,
chegam falsos cavaleiros andantes,
vendedores de sonhos, lamuriando
ilusórias promessas de amor.

E cruelmente...
sem compaixão ou complacência,
assistem sorrindo,
á queda das enúmeras vitimas
nas suas teias,
tecidas com fios de sarcasmo doentio.

No meu silêncio, penso
nas almas vitimadas e torturadas,
por tanta hipócrisia mascarada,
que se deixam "levar",
pela palavra fácil e sem conteúdo.

Na carencia das suas vidas vazias,
deixam entrar sorrateiramente,
autenticos Abutres,
que lhes desventram os sonhos
e as carregam para o tortuoso inferno,
onde se perdem e desencontram.

Perdidas e esmagadas pelo seu sofrimento,
ficam silenciosamente, cristalizadas e cegas,
degustando, o triste e amargo sabor
de tanta violência e traição,
que foi cuidado e ardilosamente cozinhado,
para faustosamente ser servido,
em bandeja retorcida,
de dor, angustia e solidão
!

A.A.A. 

sábado, 4 de setembro de 2010

DESEJO DO MOMENTO



Neste momento, desejava escrever a mais linda, suave e doce poesia, dedicada ás mais belas flores que brotaram no meu jardim de vida, mas à luz deste entardecer abafado e monótono, sinto-me vazia...

Abro um livro ao acaso e eis que surge uma luz no meu céu nublado... Passo a citar ... 

"As vossas crianças não são vossas. São filhos e filhas da ânsia que a vida tem por si mesma. Chegam através de vós, mas não são realmente vossas. Podereis dar-lhes amor, mas não os vossos pensamentos, porque têm os seus próprios pensamentos. Podereis albergar os seus corpos, mas não as suas almas, porque as suas almas moram na casa da manhã... porque a vida não retrocede nem pára. Sois os arcos para que os vossos filhos, flechas vivas, se lancem no espaço."

(Kahil Gibran)


Obrigada Kahil por me fazer lembrar o que eu e o resto do mundo não deve esquecer.

A.A.A.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

DOCE INSPIRAÇÃO



Doce guarida da humanidade,
que inspiras meu pensamento,
suspenso em serena simplicidade,
és balada de encantamento.

No escuro e infinito universo
pintalgado de estrelas,
pareces um poema em verso,
ou uma tela de cores belas?!

Azul e branco predominando
quanta beleza meu Deus!!!
assim... pairando, girando
embriagando os olhos meus.

Num bailado magistral,
vais girando sobre ti,
no espaço sideral
beleza igual não vi.

Com a lua valsando,
surpreendente e bonito,
vais assim deslumbrando,
na imensidão do infinito. 

A.A.A.

sábado, 28 de agosto de 2010

MENDIGO



Triste sorte!...velho mendigo,
que deambulas pelas ruas,
calcorreas a cidade sem abrigo,
e vês passar tantas luas.

Contas as pedras da calçada,
juntas a elas o sujo papelão,
numa cama mal improvisada,
que fazes no frio chão.

Esquecida a esperança de um ninho,
na mente,o abandono a falta de alegria,
e com uma garrafa cheia de vinho,
mendigas o teu pão de cada dia.

Num passo acelerado demais,
na certeza de não querer ver,
julgando-nos deuses imortais,
por ti passamos a correr!


A.A.A.




terça-feira, 24 de agosto de 2010

SAUDADE





No mural da minha alma,
vou escrevendo com silêncios
a dor desta saudade,
que me corrói e consome,
no passar dos dias
e das horas paradas.

Ai amor esta  saudade…
que me transporta
ao infinito da memoria,

onde se encontram registados

todos os momentos vividos
de amor e cumplicidade
que ficaram petrificados no tempo

Ai amor esta  saudade…
que me faz chorar e reviver
a dor da despedida,
a hora em que o encanto se quebrou
e em que a dama de negro
em seus braços te levou

Ai amor esta saudade...
que me ficou tatuada
a ferro e fogo
no corpo e na alma.

Ai meu amor que saudade!!!

A.A.A.

domingo, 22 de agosto de 2010

MESTRE




Mestre amado vem até mim,
tua filha precisa de ti!
Faz-me sentir o teu amor sem fim,
Deus meu que sempre ouvi. 


Este mundo é tão cheio de maldade!
e eu ser imperfeito quero acreditar,
na mudança da humanidade.
Senhor! 
Faz-me acreditar...
em toda a força do verbo Amar! 


Dá-me a luz que preciso sentir,
neste mundo de dor, 
por vezes tão escuro e cruel,
para aprender a discernir,
entre o doce mel e o amargo fel. 


Na minha misera condição de ser imperfeito,
desejo aprender com toda a devoção,
Tuas Maximas de Amor Perfeito,
Amor, Caridade, Humildade e Perdão. 


A.A.A.

MEMÓRIAS




Rasgo em mim o véu do esquecimento,
e no voo sublime de uma gaivota,
chegam-me memórias de um tempo passado, 
 que se faz presente.

Deixo livre o pensamento e o desejo,
que a brisa que faz dançar os platanos
me transporte para além do tempo.
 
Esse...

onde a Primavera fez florir
as mais belas flores,
e onde o perfume do jasmim se adensou.
 
Esse...

que as nossas almas uniu
numa cumplicidade
do mais profundo sentimento,
Frutificando-o...
Sinfonia Perfeita!
Encanto e Magia... 

Fecho os olhos, 
lambo uma lágrima...
e deixo-me embalar nesta doce emoção,
sentida e tatuada na minha alma. 

A.A.A.

sábado, 21 de agosto de 2010

Paula Fernandes - Dust in the wind

A NOITE



Ao som ensurdecedor do silêncio,
amenizada pelo odor da maresia
e pelos acordes melodiosos 
da brisa nocturna,
vai lentamente caindo a noite.

Ah! A noite!

Ilusória, fascinante, 
angustiante, deslumbrante...
num grito surdo, 
ela faz despertar,
tantos sentimentos contraditórios,
complexos e dificeis de definir.

Noite dos neons... volátil,
que cria e transforma ilusões,
na mente dos eternos actores,
que pensam ter feito parar o tempo
e que assim ganharam o poder
de fazer regredir a idade!

Noite escura e fria... 
que enfada, angustia e envolve, 
todos os que se dão por vencidos
e todos os que são visitados,
pela dor, pelo esquecimento, pela solidão, 
pelo tormento das horas vazias.

Noite obscura...
que no turbilhão das horas perdidas 
nos antros infectos do vicio,
acorrenta almas ás redes de uma vida 
sufocada, retalhada, desventrada, 
perdida dos sonhos,
que foram um dia mas já não são!

Noite magica, serena... 
coroada de estrelas,
que esconde gestos e afagos,
de amor inteiro e repartido.
Que num abraço gostoso
e num sopro envolvente,
premeia alguns seres... 

Amantes, amigos, 
sonhadores, musas, poetas...
todos os que amam incondicionalmente,
os de mente aberta e de coração puro,
os que fazem dela a vontade eterna,
de permanecer no sonho...

E se para uns a noite 
é demasiado longa,
para outros será breve segundo,
para os restantes ela pode ser...
Eternidade! 


A.A.A.

SUBLIME BELEZA




Que sublime beleza, que encanto!
Este mar calmo que serenamente,
num divino e explendoroso canto,
embala e beija o areal tão docemente! 

 
O sol sobre ele vai descendo,
dando-lhe um brilho admiravel,
vejo uma estrada de fogo incandescente,
que imagem deslumbrante!
Incomparável... 

 
Ao longe, do mar emergindo
numa abstracta, fantástica ilusão,
nuvens, que vão sugerindo,
imagens esculpidas por divina mão!
 
Fusão de cheiro, cor, melodia,
que beleza tão estonteante!
Há muito que não via,
Um pôr-do-sol tão deslumbrante!
 


A.A.A.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

VAI...




Quando sentes chegando

o vasto frio da Silencio,

o negrume das horas nostalgicas

e angustiantes da Solidão...

Não te deixes ficar caída no chão,

prostrada e inerte...



LEVANTA-TE!...



e solta as asas da tua imaginação,

lança-te na viagem subtil dos sonhos realizaveis,

na busca do teu saber,

no encontro inimaginavel do teu Ser

com o Universo Iluminado,

aonde é possivel encontrar a Paz e Serenidade

que alimentam a Alma.



VAI...



Vai até onde te for possivel levar...

a Voz do Coração,

a Luz da tua Alma,

a Serenidade do teu Ser!
 
 
A.A.A.

Isabelle Boulay duo avec Edith Piaff - Non je ne regrette ri

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

TANTO POR FAZER...



Tanto ódio, tanta guerra!!!!...
Tanto se fala de paz,
tanta dor que o mundo encerra,
tanto homem incapaz!.

Tanta tentativa falhada,
Tanto em nome do mundo,
tanta hipócrisia mascarada,
tanto grito e tão profundo.

Tanto martir caindo,
Tanto cheiro a defunto,
Tanto homem secumbindo,
Tanta mulher de luto.

Tanto orfão, tanto desdem,
Tanta viúva sem norte,
Tanto homem feito refém,
Tanto se chora a negra morte.

Tanta vil corrupção,
Tanta fome disfarçada,
Tanto lider sem coração,
Tanta voz amordaçada.

Tanto gueto na area urbana,
Tanto crime declarado,
Tanta miséria humana,
Tanto sonho acorrentado.

Tanto "barão" á solta,
Tanta seringa trocada,
Tanto caminho sem volta,
Tanta vida desperdiçada!

Tanto antro de vicio,
Tanta lágrima derramada,
Tanto consumo e desperdicio,
Tanta fúria incontrolada.

Tantos senhores do mundo,
Tanta convenção declarada,
Tanta ilusão lá no fundo,
Tanta mente alienada!!!

Já é tempo de mudança...
Não nos matem a Esperança! 

A.A.A.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

PALMILHANDO



Passo a passo nesta emocionante viagem,
vou palmilhando a vida
e na imensidão de pensamentos que me assaltam, 
paro, medito, introspeciono 
e deixo-me levar para dentro de mim. 


Descobri assim, nos detalhes de todos os dias, 
a emoção e beleza da vida. 
Num sobe e desce inconstante, 
na luta desenfreada entre...
o bem e o mal, 
os erros e os acertos, 
o amor e o desamor, 
os ganhos e as perdas... 
aglomerando experiência e conhecimento, 
através das lições colhidas diariamente.


Saboreando cada momento, 
com alguns medos, 
 com algumas revoltas, 
sem arrependimentos, 
sem pressas ou atropelos, 
guardo em mim o desejo,
que no meu derradeiro sopro, 
sinta a serenidade dos seres, 
que souberam viver... 
e em paz por fim adormecer.

A.A.A.

TEMPESTADE d'alma

(imagem Rosa dos Ventos)


A chuva cai, o vento sopra forte!
O teu rio, o meu mar, carregados... cinzentos...
A minha alma grita ao vento norte, 
o quanto chora e sente neste momento.

Em minha alma cansada e vencida,
ilusorio, dubio, contraditório o meu pensamento,
que faço aqui?! sinto a alma ferida!
Queria, desejava partir neste momento,
Abrir asas e voar ao sabor do vento!

Mas a chuva cai! e o vento sopra forte!
O teu rio e o meu mar, carregados... cinzentos...
No pensamento o desejo de mudar a sorte,
na alma a ferida continua aberta no momento.

E se o desejo de a curar é forte,
tambem o desejo de partir neste instante,
libertar-me da minha sina, da má sorte,
num delirio demente e constante,
querendo, desejando neste momento,
abrir asas e voar ao sabor do vento! 

A.A.A.

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

DEVANEIO



O vento embala suavemente os meus cabelos,
sinto o aroma deste mar calmo e sereno,
que me enternece e embriaga,
numa tranquila onda de emoção.

Cerro os olhos e deixo-me levar
ao sabor do pensamento,
para terras distantes,
onde habitam pedaços de mim.

Relembro então o poema inacabado,
o lugar secreto, o sonho,
tantas vezes adiado,
tu... sentado ao piano imaginado.

Ouço a voz mágica, cativante,
que vibrava em mim, 

numa flamejante paixão,
que me cegava e enlouquecia
nos portais da ilusão.

Ainda sinto o calor desses lábios
aveludados a roçarem nos meus,
e o sabor desse beijo roubado a oriente...
Estremeço!

No corpo, a tua marca tatuada,
na mente, a lembrança
do amor feito em leito perfumado
com  odor a  jasmim.

Ao longe um grito aceso
e o riso contagiante
de duas inocentes crianças.
Desperto... e sorrio! 

A.A.A. 

sábado, 14 de agosto de 2010

PARA UMA AMIGA


Psiiiuuuu … tu… Sim TU mesma!...

MULHER espontânea, determinada,

de espírito livre, sensual e incisivo.

É difícil e espinhosa a tua “caminhada”

Mas lembra, que neste mundo insano

Em que caminhas e vives,

nada é em vão ou se perde,

pois a vida é uma eterna aprendizagem.



Sofres por um amor incompreendido,

Sentes a alma rasgada de frustração e dor,

E soltas no mundo virtual,

a emoção que acalentas e guardas,

e, aos poucos,

 vais gritando ao mundo,

essa sede de libertação,

desses sentimentos profundos,

aprisionados dentro de ti.



Por vezes, sinto tuas lágrimas como diamantes,

Que pelo teu lindo rosto vão rolando,

Diáfanas, puras, limpídas, cortantes

Mas que lentamente tua alma vão lavando.

ADOROTU AMIGA

és um pedaço do meu céu!

A.A.A.

HOJE




Hoje vivo só...mas só não estou!

Abraço a natureza,enibrio-me com tanta beleza,

o céu azul,o passaro,o sol dourado,

o jardim abençoado á beira mar plantado...

Hoje vivo só...mas só não estou!

Trago comigo os frutos do amor

que á vida vão dando cor e sabor

que me preenchem a alma,

dando-lhe a serenidade e a calma.

Hoje vivo só...mas só não estou!

Trago vivas dentro do peito,

memórias de um amor perfeito,

lembranças de um amor recente,

que partiu mas está presente.

Hoje vivo só...mas só não estou!

Bebo os poemas que me escreves-te,

na mente o colo que me deste

e nas horas vastas de solidão

relembro os momentos de eterna paixão.

Hoje vivo só...mas só não estou!

Canto e trauteio a canção,

embalo nesta doce emoção,

digo não á morte e á dor vivida

e escrevo a poesia,pois,POESIA É VIDA!
 
A.A.A.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Keane - This Is The Last Time

BENDITO SILÊNCIO





Bendito este silêncio... que me envolve, abraça

e me faz transpôr os portais do pensamento,

rumo á profundidade da alma.

Ele me faz, sentir, avaliar, questionar,

meditar sobre tudo quanto me rodeia.



Bendito este silêncio... que me desperta,

me permite observar, absorver e qualificar,

toda a beleza profusamente bela da vida.

As suas cores, sabores, cheiros,

as suas diferenças, antagonismos,

enfim, tudo o que me dá oportunidade

de aprender e assim crescer e partilhar

enquanto ser humano.



Bendito este silêncio... que na busca do meu saber,

diz-me que posso acreditar,

que é possivel concretizar todos os sonhos,

que tenho direito de lutar e o dever de vencer.



Bendito este silêncio... que faz vibrar

as cordas do meu coração,

que me obriga a avaliar a vida,

que me dá a oportunidade de fantasiar

e uma vontade louca de me libertar,

abrir asas e voar...



Bendito este silêncio... que nesta hora apaziguada,

me embala e enternece,

me faz ouvir sons indecifráveis

e tão belas baladas de encantamento.



Ah! este silêncio bendito!

quem nunca esteve em plena intimidade com ele,

nunca se deu a oportunidade,

de se conhecer em profundidade!
 
 A.A.A.

CHARLES AZNAVOUR . " LA BOHEME " El PARIS de un tiempo ya pasado

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

POESIA



Poesia?!

Poesia é vida...



É saborear cada palavra,

degustar cada sílaba...

É sentir na pele e na alma

todo o sentimento

que nos assalta no momento.



Poesia é alimento do espírito...

É ave em movimento,

que liberta de amarras

solta e livre voa

num bailado magistral

com o amado vento.



Poesia é amor...

cantiga de embalar

que nos faz sonhar e levitar.



Poesia é beleza...

é canção na voz do poeta

que grita a paixão

a qualquer hora...

Na hora mais incerta !

A.A.A.